sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Tu.

Tudo por o que lutaste durante meses está cada vez mais longe, escapando-te por entre os dedos como se fosse areia. Por mais que tentes evitar ou tentes contornar as situações, mais tarde ou mais cedo acabam por te levar ao mesmo lugar: à dor.

(...)Moldaste-me naquela mulher sensual que sempre quis ser, mas num piscar de olhos arrancaste-me o coração com a tua cobardice. Quero odiar-te, mas amo-te. Quero esquecer-te mas estás em todo o lado. Quero que esta dor pare, que este amor se desvaneça de uma vez por todas... Isto não me faz bem, amar-te assim e ter que deixar-te ir. Não me faz bem chorar por ti e tu ai me falando de forma fria. Não me faz bem suplicar para que voltes sabendo que todos têm razão!! Estamos destinados ao fracasso! Por mais que tentemos não dá e, sinceramente, duvido que alguma vez dará. Gostava de amanhã poder acordar e nem me lembrar do teu nome. Não quero, mas preciso, esquecer-te de vez...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Posts Mais Vistos: